quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A felicidade é azul.

Quando eu era aluna na Secundária, se acaso apanhasse assim uma tarde destas com chuva, aproveitava para ir fazer alguma ficha de História ou fazer de conta que lia o Memorial do Convento. Se por algum motivo especial tivesse havido almoçarada nas bombas, o mais provável era estar por esta hora reunida com a comandita no sofá da AE a ler a revista Maria e a beber Redbull.

Agora é diferente. Ou estou num qualquer cunbíbio no Couraça ou no Cartola; ou fico por casa a ver as Tardes da Júlia, a pensar nas coisas importantes que tenho para fazer (amanhã) e a contar os tostões para mais loguinho.

Ihh, gosto mesmo disto.

(Dou 10€ a quem me fizer a caridade de ler o Mitologias do Rolan Barthes e trocar aquilo tudo por miúdos, a ver se entendo. Recuso-me a fazer mais alguma tentativa de ler aquilo sozinha: primeiro, porque me sinto estúpida, género boi a olhar para o palácio - versão literária e no feminino - em segundo lugar porque, pfffffffff... não há paciência.)

5 comentários:

Padeiro aka valentino rossi das rotundas disse...

Não são bois, são burros que olham para palácios xD M
Mas que posso eu fazer? sim, que posso eu fazer?

Inês disse...

sao? sempre ouvi boi!

vice' disse...

O padeiro tem a mania que é esperto! xD

Padeiro aka valentino rossi das rotundas disse...

Eu sempre ouvi dizer burros, mas que posso eu fazer? Sim, que posso eu fazer.
Felizmente existem os finos xD

Inês disse...

burros ou bois a parte. caloirinhos, aproveitem mas é muito bem esta latada (com muitos finos, tambem) porque não vai haver outra igual.